AFINAL HÁ SEGREDOS NO VENTO



Levo-te ao sabor do vento
Todos os segredos do mundo
Do Norte ou do Sul
Isso não importa, no fundo
Porque eu…
Ainda inquieto pela brisa agreste
Das palavras que me fizeste
Confio-te os segredos meus
Para que eles possam também ser teus
Segredos valiosos esses
Que podes contar a todos
Em todos os amanhãs que vierem
E assim bem soltos os segredos
Saberás os meus e eu os teus
E perderás todos os medos

Foto: Volare: história de um lenço - Luís Lobo Henriques (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário