ENTRE O MEDO E O DESEJO



Entre o medo e o desejo de te ver
Vai um mundo inteiro de tempo
O desejo de te ver é maior
Infinitamente maior
Que o medo de te perder
Sei que me desejas
Não o dizes mas sinto-o
Quando me abraças
Ou quando me enfrentas
Quando finalmente me beijas
Tens medo mas não o dizes
Tens desejo e não sentes
Quando te beijo e não gostas
Sei que afinal mentes
Mentes descaradamente
Como se eu não o sentisse
Se o tempo pudesse falar
Diria que esse medo é afinal
Um produto da tua mente

Foto: Infinito - Rumen Koynov (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal