VER-TE



Ver-te assim à distância
É estranho e desconcertante
Poder falar contigo
Mas estares tão distante
Tão distante e tão perto
Quase ao tocar de uma mão
Do tamanho de uma vida
Espero que o tempo
Não me venha a dar razão
A razão pura e cruel
De ver-te tão distante
E sentir no coração
Uma dor tão dilacerante
Foto: Help me would be nice - TiagoXavier (olhares.aeiou.com)
1 comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal